segunda-feira, 3 de outubro de 2011

A ausência e o susto

Mais de 20 dias sem postar (e sem acompanhar meus blogs favoritos).

Na penúltima semana de setembro, fiz uma viagem com Samir, para fazer o enxoval de Mateus (que será objeto de um post específico), e, por conta da viagem, acabei com as semanas contíguas comprometidas com os preparativos da viagem e as arrumações pós-viagem, o que acabou me deixando sem tempo disponível para os devaneios cibernéticos.

Como as crianças não foram conosco, os dias que antecederam a viagem foram destinados a organizar a logística deles aqui, durante a nossa ausência, e para dar conta do trabalho que não poderia ficar acumulado.

Os dias subsequentes à viagem, por outro lado, foram, logicamente, para matar as saudades dos rebentos, e para agilizar a demanda natural do trabalho, que acabou ficando para a volta. Enfim, sobrevivi!

Colocada a vida, na medida do possível, em ordem, fico feliz em encontrar tempo para poder sentar-me aqui de novo, para acompanhar as novidades que perdi das últimas 3 semanas, e para compartilhar as minhas também. Principalmente depois do susto de ontem.

Ontem fomos almoçar na casa de Lú, queridíssima amiga que, depois de morar muitos anos no Rio, voltou a nossa terrinha. Tinha tudo para ser um domingo perfeito: lindo dia de sol, churrasco de primeira preparado por Marcelo, a companhia maravilhosa da minha amada amiga e a felicidade que irradiava naturalmente dos meus pequenos. Lipe estava super entrosado com Léo que, apesar de ser (bem) mais novo que ele, compartilha de muitos interesses comuns e Leti estava simplesmente LINDA, se divertindo com Léo e com outras crianças que apareceram por lá.

De uma hora para outra ela resolveu notar as crianças ao redor dela e a se divertir com elas. Começou na sexta, aqui em casa, quando ela não conseguia conter as gargalhadas ao correr atrás do primo Pepeu que, percebendo o sucesso que fazia, cada vez incrementava mais as palhaçadas que fazia para chamar sua atenção. Lá na casa de Lú, não podia ver uma criança correndo que corria atrás, para tentar pegá-la, às gragalhadas. Brincou com terra, curtiu o parquinho, correu atrás de pássaros, não deixou passar desapercebido um jogo de bichos que esqueceram pelo caminho. Estava realmente linda!!!!!

Até que, numa dessas corridas, se desequilibrou e caiu. Na hora, achamos que não tinha sido nada demais. Bateu a barriga primeiro e a cabeça não foi forte no chão. Ao tentar acalmar seu choro incontido, notamos o sangue. Muito sangue!

Eu, que normalmente sou muito calma nessas horas, fiquei desesperada ao perceber a quantidade de sangue que jorrava da boca da minha pequena. E não conseguia localizar o ferimento. Fui buscar gelo enquanto Samir ficou com ela no colo. Neste intervalo, Samir conseguiu notar o corte na língua e, pela ênfase com que pedia que a levássemos logo a um hospital, só imaginava o terror do estrago.

Deixamos Lipe na casa de Lú e fomos ao Hospital Aliança, pertinho, em busca de socorro. Meu coração batia acelerado, só imaginava ter que submeter minha filhinha a uma sutura na língua naquele estado em que se encontrava. Um desespero indescritível.

Ao chegar lá, ela já se acalmou um pouco, diminuiu o choro e o sangramento, mas não conseguíamos ver direito o local do corte. Tivemos que esperar um pouco porque duas crianças, igualmente acidentadas, chegaram antes e, aparentemente, passavam por situação mais grave.

Entre um atendimento e outro, o médico foi à sala de espera vê-la e nos confortou. Disse que caberia uma sutura para uma cicatrização mais rápida, mas que, como o procedimento só poderia ser feito com anestesia geral, ele achava mais prudente cuidar do ferimento em casa, porque num prazo de no máximo 3 dias teríamos o mesmo resultado, sem um procedimento invasivo. Receitou um antiinflamatório, prescreveu dieta líquida por 48 horas, recomendou o uso de alimentos gelados nas primeiras 24 horas e reforçou a necessidade de higiene máxima na boca, para evitar infecções. Pediu que a levássemos em sua odontopediatra para avaliação.

Só quando fui lhe dar sorvete, consegui ver o tamanho do estrago. Um pedaço da língua parecia estar solto (que agonia!). Sinceramente, não acreditava que aquilo pudesse cicatrizar sem uns pontinhos. Mas segui à risca as orientações do médico: remedinho, sorvete, milk shake, água depois de cada alimentação e muito, muito dengo para minha filhota. Dormimos juntas. Ela, praticamente de hora em hora, acordava choramingando e depois voltava a dormir. Eu praticamente não dormi. Às 03:50 ela acordou definitivamente e só foi dormir de novo quase 8h.  Eu estava um caco! Mas, para minha surpresa, quando fui dar-lhe sorvetinho de novo pela manhã, percebi que o corte estava praticamente todo colado. Com uma espécie de cascão preto por cima, e rodeado de manchas brancas que pareciam aftas, mas colado. Aquilo devia estar incomodando muito. Mas ela nem reclamava... Só ficou mais dengosa. Só queria ficar comigo, no meu colo... Tão gostoso sentir que a gente conforta nessas horas...

Marquei a dentista para amanhã. Estou com medo até de escovar os dentinhos. Espero que amanhã o quadro já esteja bem melhor que hoje!

Pela foto não dá para ter ideia da dimensão do corte

Acomodada no barrigão da mamãe

Obs.: Toda vez que eu pedia para ir com Val (sua babá), para eu poder ir corrigir o dever de Lipe, ela se deitava em minha barriga. Como é que desgruda assim?????

4 comentários:

Mariana - viciados em colo disse...

fiz um esforço para abstrair o acidente e estou feliz pelos saltos de interação!
muito feliz!
beijoca

pétala disse...

Ai ai..esse relato me deixou aflita imagina vivenciar....sei que passarei por alguns momentos desses,mas que queremos que demoremuito ,queremos. Um beijo querida....beijo na família linda. E da muito dengo mesmo. Como sempre digo Paulo,eu dengo mesmo...tem coisa melhor..essas fofuras.

Ivana - coisademae disse...

ô Jana, que angústia, heim? Imagino a sua aflição amiga! Estou torcendo pra que ela se recupere logo, viu?

Por outro lado, estou radiante pelas estripulias que Leti andou fazendo!!!Linda e surpreendendo, como sempre!

Bjos!!!

Ju Dalzoto disse...

Puxa, que susto mesmo, Jana!
Nossa, deu sim para ver o corte... que doído deve ter sido!

Ainda bem que a Leti pode contar com uma mamãe super carinhosa o que ajudará muitíssimo na recuperação!

E ainda bem também que o atendimento médico daí parece ser bem bom neh?! Deus me livre precisar de uma emergência por aqui... guria, aqui é um horror! Não dá pra confiar. Mas pelo visto, o médico acertou em todas as recomendações neh, e que bom que vcs optaram por fazer o tratamento em casa. Demora mais, cansa horrores, mas acho sim que foi o melhor pra ela neh Jana?!

Boas melhoras, viu!?
Beijocas
Ju

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...