sábado, 20 de julho de 2019

Um Novo Ano Novo

Uma nova fase se inicia por aqui. Como tantas outras, é verdade. Tendo a oportunidade de reler alguns posts e de relembrar alguns momentos pelos quais passamos com Leti, dei-me conta de que os últimos ciclos pelos quais passamos têm sido assustadoramente regulares. Um início de ano bom, motivante, repleto de expectativas; daí uma gripe, uma desorganização comportamental, um aumento de sono, de indisposição, de medos e... foi-se o primeiro semestre! Produtividade baixa na escola, limitação das programações de lazer, comprometimento de relações sociais. Com certa alteração na gradação de cada uma das características.

Mas no meio do ano parece que o ano começa de novo. As coisas começam a voltar ao eixo, ajustamos medicações, estabelecemos novos combinados, a energia parece se renovar e reverberar de maneira mais positiva.

O final do primeiro semestre foi especialmente difícil por aqui. Tirando uns ou outros episódios isolados, afinal habitamos um universo diverso, que abriga um sem número de possibilidades que coexistem dentro do intervalo que medeia os extremos do excelente e do péssimo, tivemos viroses demais, medos demais, disposição de menos. Para quase tudo. Para exercitar o corpo, para se comprometer com o aprendizado, para se aventurar pelo mundo. 

Mas nosso ano se renovou e, como nos dois últimos anos (até onde consegui levar meu exercício de memória), o segundo semestre trouxe novos ares e mais alento a nosso coração.

A saúde da minha pequena se restabeleceu, seu sono se ajustou mais aos padrões de normalidade (permitindo-a ter uma recuperação plena de energias), seu interesse pelo mundo voltou a se alargar, e, consequentemente, sua disposição e comprometimento com o aprendizado foram resgatados, anunciando que bons dias estão por vir.

E como pais e profissionais atentos que somos, estamos procurando extrair o máximo de proveito da boa fase, investindo, principalmente, em dois grandes vetores: perda de peso e alfabetização!

Em relação ao primeiro aspecto, aproveitando que os problemas de saúde resolveram dar uma trégua, passamos a cobrar mais engajamento de Leti na atividade física: ela retomou as aulas de natação que ficaram prejudicadas com a sucessão de crises respiratórias que teve e, ao lado delas, estamos acrescentando caminhadas na esteira.

Aqui vale abrir um parêntese. Por algum tempo, conseguimos manter com Leti a regularidade de caminhadas pelo condomínio que duravam cerca de 30 minutos. Mas de uns tempos para cá ela tem demonstrado uma insegurança gravitacional absurda ao se expor a ambientes externos e passou simplesmente a empacar ou se jogar no chão quando saía para estas caminhadas.

Percebendo que o medo transcendia a preguiça, e que precisava aproveitar a boa fase, chamei minha pequena para um papo sério, certa do seu nível de compreensão em relação ao tema, e, demonstrando que notava sua dificuldade nas caminhadas externas e sinalizando a necessidade de manter a atividade física para melhorar sua saúde, propus a caminhada na esteira.

Percebendo que teria que optar por uma das duas, escolheu a esteira. Começamos com caminhadas de 10 minutos, a 2km/h e temos incrementado um pouco a cada dia, com a meta de chegar a 30 minutos a uma velocidade regular (que ela nunca conseguia manter ao caminhar pelo condomínio) de 4km/h. Atualmente, temos conseguido, a muito custo, e com a ajuda de vídeos do youtube da Xuxa,   caminhadas de 20 minutos a 3km/h.



Aliado à atividade física, resolvemos investir em uma nutricionista. A mesma que tem me acompanhado desde março e me ajudado muito na difícil meta de melhorar os hábitos alimentares e  promover a redução do meu peso.

Estamos bem no início do trabalho com ela, na primeira semana do novo cardápio, na verdade, mas as coisas têm andado melhor do que eu previa.

Ela é mais uma profissional que entra na vida de Leti provida de um comprometimento com seu desenvolvimento que chega a me emocionar. De verdade! Avaliou atentamente todos seus exames laboratoriais, teve uma longa conversa com sua psiquiatra, foi extremamente acolhedora e compreensiva com Leti no dia da primeira consulta e tem se mostrado uma grande parceira nossa desde esse dia.

Elaborou um cardápio balanceado, que dosa alimentos e vitaminas necessários à melhoria de indicadores laboratoriais da minha pequena, contemplando, ainda, delícias saudáveis que têm trazido mais felicidade a seu dia a dia.

No dia em que ela me mandou o cardápio, fiz questão de imprimir, sentar ao lado de Leti para lermos juntas tudo o que ali estava escrito.

Ao final, a única observação dela foi: - Hummmmm, tia Thiala deixa muitas coisas gostosas!!!

 


Quase morro de amor!

E como ela tem me surpreendido! Aceitado alimentos que não consumia, demonstrando consciência em relação aos novos ajustes, apresentando até mais moderação.

Acho que essa história ainda renderá novos lindos capítulos...

Em relação ao segundo aspecto, percebi, durante o recesso junino, que Leti estava fazendo uma "leitura" fotográfica de vídeos que queria pesquisar no youtube.

Explico. Um dia, enquanto almoçava na casa da minha mãe, ela me pediu para pesquisar um certo vídeo no youtube para ela. Quando cliquei na lupa de pesquisa, imediatamente, apareceu uma lista com os últimos itens pesquisados e, espantosamente, ela conseguiu identificar, fora de ordem, cada um que pedi: pat a cake, trick or treat, johny johny, one little zombie, humpty dumpty... Sim, tudo em inglês. Não preciso falar do quão espantada fiquei.

Sinalizei para sua monitora da escola e pedi para conversar com a professora a respeito. Já até agendamos uma reunião para a próxima quarta para trocarmos figurinhas.

Mas antes mesmo da reunião, a professora já tem mudado as estratégias das atividades da escola, e aproveitado para explorar essa sua memória fotográfica. Fiquei emocionada no último fim de semana, quando a atividade era formar as palavras correspondentes às imagens coladas no caderno, usando sílabas enviadas em anexo, e ela simplesmente pegou TODAS as sílabas corretas para escrever as palavras. Um progresso absurdo para minha pequena em direção a nossa grande meta para ela.



Diante deste cenário tão promissor, só me resta nos desejar um ano novo extraordinariamente feliz!

quarta-feira, 19 de junho de 2019

Pra você, o meu amor. Sempre!



Minha princesa, seu dia está acabando e só agora, depois de terminar de arrumar as malas para fugirmos do barulho típico de São João, como você desejou, pude parar para organizar meus sentimentos em relação a seu 11o aniversário.

Você está mudando, crescendo, e isso não passa mais desapercebido! Seu corpo dá mostras de  que uma nova etapa se avizinha em sua vida e, com ela, novos desafios certamente deverão ser enfrentados por nós, exigindo de mim habilidades e capacidades que não sei se terei.

Preciso confessar que isso me assusta um pouco!

Mesmo percebendo que os receios e preocupações de outrora foram naturalmente superados, dando espaço a uma sensação de encantamento diante do florescer de sua linda individualidade, não poder projetar o que nos espera nos próximos poucos anos ainda me causa um certo temor.

Mas não é disso que quero falar hoje (tá, sei que já falei). Hoje quero falar  de você! Do seu sorriso cativante, do seu jeito carinhoso, da sua personalidade forte, da sua inteligência que tanto nos surpreende... 

Hoje, meu amor, quero dizer que cada vez que você me recebe, depois de um período de afastamento, seja de poucas horas ou de muitos dias, com um sorriso apaixonado no rosto e me abraça de uma maneira que não consigo adjetivar (e isso tem se tornado muito constante), tudo na vida parece perder sua importância e simplesmente congelar-se. Todas as batalhas travadas e todo o medo vivido tornam-se insignificantes. Tudo se transforma numa sensação plena e revigorante de amor, que pretendo cultivar e retribuir em cada dia da minha vida.

Então hoje o que te ofereço, como presente de aniversário e de vida, é o que tenho de mais valioso e o que você contribui para nutrir a cada dia -  mesmo sem se dar conta -, o meu amor. Amor que me move e me motiva a ser um constante instrumento da sua felicidade. .

Te amo demais!!!!!! Feliz aniversário!!!!







domingo, 9 de junho de 2019

A tinta da felicidade





Eu estava na cozinha, lavando a louça acumulada, quando ela apareceu do meu lado e falou uma palavra apenas: tinta!

Perguntei se queria pintar com tinta e ela abriu um sorrisão.

Deixei a louça na pia, abri um espaço na bagunça da brinquedoteca, que não nos deixava esquecer a tarde divertida que Teu teve com a amiga da escola ontem, e lá fomos nós começar a atividade proposta por minha pequena, enquanto Teu aproveitava o domingo para poder jogar um pouco no celular, deitado no puff ao nosso lado.

Pegamos tintas, papéis de scrapbook, pincéis de várias formas e tamanhos e começamos a dar forma a nossa obra de arte (ao lado, um papel em branco estava a postos, caso aparecesse companhia).

E a companhia não tardou a aparecer. Leti ria tanto com as próprias travessuras (ao pintar seu pijama, seu cabelo, sua pele e ao me pintar), que Mateus rapidamente abandonou o celular e se juntou a nós na brincadeira, tornando-a ainda mais divertida.

Ao final, além de muita tinta para lavar no corpo, ficou uma alegria enorme que, sem dúvida, irá dar o tom do nosso lindo dia de domingo hoje 😍😍😍


 


sexta-feira, 17 de maio de 2019

Restaurando um lindo sorriso

Quando eu soube que ela tinha caído e quebrado o dente (permanente e da frente 😱), minha primeira reação foi colocar a mão na cabeça e tentar conter o pânico ao imaginar como fazer para consertá-lo.

Em seguida, entrei em contato com o consultório de tia Paulinha, expliquei o ocorrido e pedi que marcassem um horário.

No tempo transcorrido entre a marcação e a consulta em si, sempre que podia, sinalizava a Leti que em breve consertaríamos seu dentinho. E ela fazia cara de paisagem. Mas eis que o dia chegou!

E ela entrou no padrão esperado para uma situação como essa: ansiedade extrema!

Acordou repetindo, como um mantra: "tia Paulinha não." Puxava a blusa a ponto quase de rasgá-la, transpirava, e repetia: - tia Paulinha não!

Expliquei que ela precisaria consertar o dente, tentando antecipar o que seria feito no consultório e reforçando que não haveria dor, falei da última consulta do seu irmão, e, num dado momento, peguei o livro "Quem tem medo de dentista" para lermos juntas.

Mas nada adiantava! 😞😞😞 Daí chegou a hora da consulta! E ela foi ficando mais enfática, mudando seu mantra para: - eu não quero ir! (O que pode parecer a mesma coisa mas, na nossa relação, tem uma diferença enorme já que, ao falar de SEU desejo e não só de uma mera resistência, procuramos validar mais tais colocações). Neste momento expliquei que, tratando-se de saúde, e estaríamos cuidando da sua saúde bucal, não poderíamos negociar como fazemos quando ela não deseja nos acompanhar em alguma programação.

Ela então chegou no consultório, puxou tia Paulinha pelo braço, sentou -se diretamente na cadeira de atendimento e, de maneira surpreendente, colaborou, à sua maneira, para que o trabalho pudesse ser feito.

Ao final, não queria sair da frente do espelho, admirando sua nova versão 😍😍😍 (Eu fico aqui babando, percebendo sua maturidade, e agradecendo a dedicação, paciência e competência de sua dentista linda 🙌)


quarta-feira, 15 de maio de 2019

Leti e os Fenômenos da Natureza


Filosofando, com seu dentinho quebrado 😔, sobre os fenômenos da natureza... (e eu me derretendo de amor ❤) 

Segundo ela:

Relâmpago - luz
Trovão - barulho
Raio - descarga elétrica 👏👏👏👏👏👏

sábado, 11 de maio de 2019

Solar Amado - Museu do Sorvete

Hoje fomos conhecer o Solar Amado, e seu Museu do Sorvete, inaugurado na última quarta feira.

Quando soube do projeto, fiquei animadíssima, já que sou uma grande entusiasta em relação a espaços culturais em nossa cidade tão linda e com uma história tão rica!

Como não conhecia o edifício, não posso fazer uma análise comparativa, mas confesso que fiquei APAIXONADA pela proposta.

O andar térreo abriga o espaço destinado ao Museu, e nos conta um pouco sobre a história do sorvete, do picolé e do açaí, apresentando maquinários utilizados na fabricação.

Mas antes da introdução da temática em si, a funcionária apresenta uma linha do tempo que vai desde o início da construção da casa, no final do século 19, até a restauração para a reabertura ocorrida esta semana, sinalizando sempre as partes da sua estrutura preservadas da construção original.

O segundo andar está mobiliado como as residências da época e proporciona uma deliciosa viagem no tempo!

Na parte dos fundos do solar, há sorveteria, lanchonete, espaço de brincadeiras para crianças e estacionamento.

A visita é toda guiada e custa apenas 10 reais para pessoas a partir dos 10 anos de idade.

É um lugar lindo, rico, cercado das belezas naturais do bairro da Ribeira, e rende um excelente programa em família!

Recomendo demais!!!!!! E torço para que seja valorizado e visitado pelo nosso povo.

 

 

 

 

 

 

terça-feira, 30 de abril de 2019

Amor, Orgulho e Gratidão!



Num piscar de olhos, você cresceu! E mesmo tendo consciência de que estive ao seu lado durante todo este tempo, ainda me surpreendo com essa realidade: meu filho é um homem! E me pergunto em que lugar deste caminho o meu menino passou por sua grande metamorfose, perdendo sua ingenuidade e adquirindo a tão almejada maturidade. Em que momento suas atitudes deixaram de ser previsíveis e passaram a me causar surpresa. Em que momento você conseguiu reunir todo o repertório que procuramos lhe passar, fosse por nossas palavras, ou pelas oportunidades que pudemos te proporcionar, e construiu suas próprias percepções sobre a vida. Em que momento você, que em tanta coisa se parece comigo, passou a impor suas individualidades, me ensinando a árdua e necessária arte da remodelagem materna.

Independentemente de quando tudo isso tenha ocorrido, e mesmo sabendo que você ainda tem um longo caminho pela frente, me parece muito claro que as bases nas quais você tem alicerçado a construção da sua história só poderão te conduzir para o caminho do BEM.

E perceber isso, com a consciência - sem um pingo de falsa modéstia - da importância do meu papel neste processo, me dá a prematura sensação de missão cumprida!

Olhar para trás e me enxergar tão insegura diante de um bebezinho que fazia meu coração quase rachar de amor; tirar de você motivação para lutar por um futuro melhor; construir com você uma relação baseada no amor e na confiança; e perceber que esta relação saiu ainda mais fortalecida quando precisamos superar dificuldades naturais da adolescência, me estimulam a seguir trilhando o caminho do amor com a certeza de que a colheita jamais me desapontará.

Hoje, meu filho, sou só amor, orgulho e gratidão pela oportunidade de ser sua mãe e, através de você, poder aprender tanto e me melhorar a cada dia. Te amo demais!

Feliz aniversário! ❤

domingo, 28 de abril de 2019

A persistência e a experiência

Quando ele sinalizou que, em pleno 3o ano, iria participar da gincana da escola e mostrou que mergulharia de corpo e alma neste intento, comprometendo importantes horas dos seus dias, que poderiam ser dedicadas ao estudo, eu e Samir ficamos preocupados.

Quando ele percebeu que sua equipe precisaria mais da sua ajuda, por não contar com o apoio de nenhum grupo de ex-alunos, e intensificou ainda mais a dedicação para as questões relacionadas à gincana, Samir quase surtou e eu entendi que aquele era um processo importante que ele precisaria viver e do qual poderia extrair um aprendizado que dificilmente qualquer aprovação lhe proporcionaria. E resolvi apoiar.

Entrei no grupo de Whatsapp de mães da equipe, me envolvi como pude para auxiliar nas tarefas que demandavam ajuda externa (chegando ao ponto de pedir a um guia que nos atendeu em Londres para se deslocar ao Big Ben para fazer uma foto e de pagar mico cantando em inglês e dançando na escola), dei a ele algum suporte logístico e o acolhi em sua decisão.

Terminada a gincana, sinto uma enorme gratidão pelo caminho que segui. Ver sua expressão de exaustão e satisfação a cada noite pós trabalho e sentir seu prazer em compartilhar conosco suas experiências ao chegar em casa me encheram de alegria. Testemunhar sua capacidade de se doar, de pensar no grupo e de não desanimar diante da perspectiva mais otimista possível, que era a de não ser o último lugar, me mostraram uma face dele que não conhecia e que me deixou muito orgulhosa.

E, ao fim de tudo, tive a oportunidade de lhe dizer que estava muito feliz por ele ter persistindo em seu propósito, mesmo diante de nossa resistência, por ter vivido uma pequena parcela do que é a adrenalina de uma gincana e por perceber a repercussão maravilhosa que o processo terá em sua vida, reenergizando-o, inclusive, para dar continuidade a seus estudos com ainda mais empenho que no início do ano.







domingo, 21 de abril de 2019

A Páscoa e os seus significados

Teu, apesar dos 7 anos, conserva uma rara ingenuidade para a idade. Acredita em Papai Noel, Coelho da Páscoa e Fada do Dente. 

Nesta época, escreve sua cartinha ao Coelho e espera ansiosamente pela caça aos ovos no domingo de páscoa. 

Ao mesmo tempo, nesta época do ano, busca mais pela história de Jesus, por sua morte e ressurreição, e prioriza a leitura da bíblia a qualquer outra.

Para tornar seu dia mais divertido, e aproveitar essa linda ingenuidade, que não sei até quando dura, mais uma vez organizei uma caça aos ovos de páscoa em nome do coelhinho. 

As patinhas, que há dois anos eram de papel, agora são mais reais, as pistas, um pouco mais complexas e numerosas, e o prêmio ao final, um mero pretexto para coroar uma divertida brincadeira.

Neste ano a ansiedade foi tanta que ele acordou às 4h20 da madruga e foi me chamar para ajudar na busca. Eu, obviamente, o mandei de volta para a cama, dizendo que só estaria disponível quando o dia estivesse claro (ah, procuro ser uma mãe gente boa, mas tudo tem limite, né?). 

Às 7h, depois de dar o café da manhã de Leti, fomos chamá-lo (esse tinha sido o pedido dele antes de dormir, sabendo que sua irmã sempre acorda mais cedo) e começamos a brincadeira!

Neste ano ele foi acompanhado por Leti em todo o percurso, e demonstrou uma atenção especial a ela, leu sozinho todas as pistas e participou, eufórico, de todo o processo!

Ao final, repetia cheio de animação que este ano tinha sido ainda melhor que os anteriores e que o Coelho havia se superado em tudo 😍, tornando a caça muito mais divertida!

E enquanto houver ingenuidade e crença no Coelho, ele terá oportunidade de vivenciar esses deliciosos momentos. Afinal, essa fase passa tão rápido, não é?







sexta-feira, 19 de abril de 2019

Como os antigos natais...

Quando era criança, a época do natal era um grande acontecimento! A família de minha mãe, que é enorme, se reunia na casa de uma tia e nós, os primos, ficávamos todos juntos aproveitando a noite, que era selada com uma sacola recheada de presentes. 

Mas crescemos, construímos nossas famílias, agregando a de nossos cônjuges, e estes momentos, infelizmente, não acontecem mais. 

Hoje experimentei um pouco daquela sensação de infância, no almoço de Semana Santa na casa de uma tia, quando uma parte da família pôde estar junta para celebrar a páscoa. 

Organizamos uma caça aos ovos de páscoa para as crianças, colocamos a resenha em dia, nos esbaldamos nas delícias  preparadas para o almoço e revivemos aqueles momentos mágicos que davam um significado especial a nossa infância.

Foi maravilhoso poder oportunizar um pouco daquilo que vivemos a nossos pequenos!










segunda-feira, 11 de março de 2019

O terreno fértil e o engajamento no cultivo

Samir acaba de sair para mais uma semana de trabalho longe de casa e, provavelmente por isso, acabei mergulhando numa onda de nostalgia.
 
Lembrei-me de sua primeira viagem depois que Mateus nasceu, quando ele saiu de casa desolado de preocupação conosco, porque me deixava sozinha com as três crianças (relato aqui), e não fazíamos ideia do que estava por vir.
 
Mas, desta vez, minha sensação é completamente diferente!
 
Comentávamos neste fim de semana como, a cada dia que passa, nossa rotina com as crianças vai ficando mais leve, mais tranquila. Apesar de esta ser uma tendência natural em todas as famílias, o cansaço do trabalho com as crianças ir diminuindo à medida em que elas crescem, não tínhamos noção de quando isso aconteceria conosco por conta da imprevisibilidade que norteia o desenvolvimento de Leti.
 
Mas além do crescimento físico, que a cada dia fica mais evidente com os sinais da puberdade que nos impõem a realidade de que nossa filha está ficando uma mocinha, sua regularidade de humor e comportamento tem imprimido à nossa vida a leveza sobre a qual comentávamos.
 
E é verdade! Já faz algum tempo que Leti vem mantendo uma estabilidade de comportamento. Os atos de autolesão são praticamente inexistentes, sua comunicação está cada dia mais funcional, seus relacionamentos melhoram de vento em popa... Ela continua inteligente, sagaz, irreverente! Permanece geniosa também. Uma característica sua, que suplanta a síndrome ou o transtorno do espectro autista. Característica que nos desafia e nos ensina a estar atentos à necessidade de nos remodelarmos para melhor atendermos a suas demandas.
 
E todo este cenário enseja um terreno fértil às investidas em torno do seu aprendizado.
 
Obviamente que, perspicaz como ela é, e tendenciosa a manter-se na zona de conforto, ela faz o que pode para escapar de qualquer atividade que lhe exija o mínimo de esforço e que se revista de um cunho pedagógico.
 
O segredo para o sucesso do trabalho com ela perpassa - profundamente - pela abordagem do conteúdo a partir de temas que despertem o seu interesse.
 
Embora imagine que, para qualquer criança, o trabalho pedagógico deva ser mais proveitoso a partir deste ponto de vista, tenho convicção que, para ela, SOMENTE A PARTIR DESTE PONTO DE VISTA pode haver alguma possibilidade de êxito de qualquer trabalho pedagógico. 
 
Por isso, acredito que tão importante quanto o embasamento teórico do profissional a trabalhar com a minha pequena é a motivação para o desenvolvimento do trabalho. O comprometimento. O envolvimento. E, por que não, a paixão?
 
E, para nossa sorte, a professora deste ano parecer encaixar-se perfeitamente neste script uma vez que, neste curto espaço de tempo transcorrido desde o início do ano letivo, já deu mostras suficientes de que chegou para deixar sua marca na vida da minha princesa!
 
Confesso que saí meio estatelada da reunião que tive com ela há aproximadamente duas semanas. Ela é daquele tipo de pessoa que chega, chegando; altiva, falante, preenchedora do ambiente que ocupa. E chegou muito assenhorada do seu propósito para o trabalho com Leti neste ano: alfabetizá-la.
 
Como sinto que esta é minha grande missão em relação a minha filha, o (primeiro) grande legado que gostaria de lhe outorgar, perceber a sintonia e o comprometimento de sua professora neste sentido me deixou quase sem chão.
 
Ela falava com um brilho radiante nos olhos de suas ideias, compartilhava suas descobertas, me convidava para ser sua parceira nesta linda jornada.
 
E os momentos seguintes à apresentação do seu propósito me deram motivos para acreditar que sua concretização pode, sim, ser possível, já que não se trata de um simples desejo, mas de uma meta, para a qual ela vem elaborando o planejamento pedagógico correspondente.
 
Por ora, ela já conseguiu para Leti um módulo do Grupo 5, que tem como objetivo consolidar conhecimentos prévios às competências de leitura e escrita, e pediu para a professora de Artes confeccionar um caderno em tamanho A3, para realização de atividades individualizadas.
 
Em relação às atividades individualizadas, vale registrar a atividade de casa deste final de semana, enviada na sexta feira, e produzida a partir de uma foto tirada naquele mesmo dia (vale ler aqui o pequeno post que escrevi a partir da foto). A foto dela com as amigas foi o ponto de partida para a atividade que demandou habilidades relacionadas a correlação, reconhecimento e escrita. Ela fez a atividade com bastante tranquilidade e, de noite, na hora de dormir, quando, despretensiosamente, perguntei como se escrevia os nomes das duas amigas, ela soletrou ambos de forma correta e sem pestanejar. Obviamente que a identificação dos nomes decorreu muito mais de um processo de memorização que de leitura propriamente dita, mas, conhecedora da excelente memória que ela tem, sua professora já me sinalizava sua intenção de explorar esta aptidão como suporte para o processo alfabetizatório.
 

 

 
Embora tenha plena consciência de que não temos garantia alguma quanto ao resultado exitoso do trabalho, já que muitos fatores norteiam o processo de aprendizado da minha pequena, sentir o comprometimento, o empenho e a capacitação desta linda professora, aliados ao comprometimento de toda a equipe que já vem atuando junto a Leti, faz meu coração fervilhar de alegria e esperança pelos bons frutos que este ano de 2019 pode produzir.

sexta-feira, 8 de março de 2019

Meu 8 de Março

Elas já tinham visto que tinham a mesma blusa e pediram a Marina, acompanhante de Leti, que combinasse comigo para Leti usá-la hoje.

Poderia ser uma simples brincadeira de criança, mas, tratando-se desta turminha, vejo a iniciativa como mais uma maneira de incluir minha pequena, de demonstrar atenção, carinho e amor. 💙

As meninas de hoje. Mulheres de amanhã!

Que esta sensibilidade continue movendo-as em prol de pequenas ações com grandes significados!


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...