quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Semana de Importantes Decisões

Essa foi uma semana de importantes decisões. Tinha decidido matricular Leti no turno matutino este ano. Por duas razões. A primeira é que seria muito mais cômodo para mim voltar a ter os dois filhos em idade escolar estudando no mesmo horário, quando eu teria tempo livre para dedicar ao trabalho, que tem demandado muito de mim. A segunda é que favoreceria seu aproveitamento, já que, normalmente, ela passa a manhã toda acordada e, em contrapartida, dorme um bom tempo depois do almoço. 

Um outro ponto também falou a favor da mudança. Agora nas férias, ela começou a fazer natação no condomínio, com um professor que tem experiência com crianças autistas e que tem feito um trabalho legal com ela, que me parece poder render bons frutos. Mas sua turma é a da tarde (e não achei a professora da manhã - que dá aula a Mateus - tão qualificada para Leti como ele).

Liguei para a escola e perguntei à diretora pedagógica sobre a disponibilidade de vaga de manhã, contando-lhe da minha decisão. Ela pediu um tempo para conversar com a coordenadora e com a antiga pró de Leti.

Na minha cabeça já estava tudo esquematizado e eu já me via com um ritmo de vida mais tranquilo... Mas durou pouco!

No mesmo dia, ela ligou-me de volta ponderando alguns aspectos que ela achou importantes. Dois deles levaram-me a voltar atrás em minha decisão: o fato da turma do matutino já ter duas crianças especiais (e a do vespertino só ter ela) e algumas observações sobre os vínculos criados por Leti no ano passado.

No ano passado ela passou a ser notada pela turma, a ser querida por uns colegas, a reconhecê-los... Foi um processo gradual de conquista, que não pode ser perdido, não pode voltar à estaca zero.

À tarde, teremos pró Wendy por perto, que, mesmo não sendo sua professora em 2013, estará na sala ao lado e poderá dar um suporte na fase de adaptação ao novo ano.

Quanto ao sono vespertino, fui orientada a tentar transferi-lo para o final da manhã nestes 15 dias que ainda restam antes do final das férias.

Comecei a fazer isso hoje e funcionou bem. Vamos ver se vai continuar assim.

Quanto à natação, o professor teria disponibilidade para lhe dar aula particular pela manhã (se conseguirmos compatibilizar as agendas), mas terei que pagar por isso, já que aula particular não entra na conta do condomínio (só as de grupo em horários preestabelecidos). Vou avaliar isso com calma e comparar o custo com o de um outro professor que me indicaram.

Coincidentemente, hoje tive uma reunião com a TO de Leti e ela falava da sua preocupação com os vínculos de Leti, com seu (pouco) interesse pelo outro e em como isso atrapalha a utilização funcional de todo o aprendizado conceitual que ela acumula.

Ela dizia não se preocupar com o aprendizado de Leti, já que ela dá mostras de ter uma grande capacidade de aprender, mas com o fortalecimento de relações dela com outras crianças, para que isso a motive a brincar mais e a utilizar seus conhecimentos de maneira simbólica e funcional.

Sugeriu algumas atividades que não tenham como objetivo, simplesmente, testar seus conhecimentos, mas que possuam algum significado relevante para ela. Mostrou o resultado de uma avaliação que ela faz periodicamente e do progresso de Leti nos últimos dois anos.

E me aconselhou também tentar trazer algumas coleguinhas de sala para brincar com ela em casa, para fortalecer laços. Sempre as mesmas. Poderíamos fazer um aniversário de bonecas, um piquenique... algo que desperte o interesse dela e das colegas. Achei a ideia ótima, mas não sei como seria a receptividade das mães. Algo para ver quando as aulas reiniciarem.

Outra sugestão foi tentar incluir um acompanhamento psicológico, para tentar ajudar nesse processo de estabelecimento de relações, criação de laços, e para avaliar sua compulsão pela comida. Temporariamente, substituiríamos uma semanal sessão de TO por uma de terapia com uma psicóloga. Gostei da ideia! 

Por último, pediu para eu avaliar a possibilidade de Leti retornar às aulas de musicalização. O objetivo não seria aprender música, conceitos, nada, mas utilizar a música, que é algo que ela adora, para inseri-la num outro grupo de crianças.

Isso já estava nos meus planos e agora virou prioridade!


Enfim, o post foi só para noticiar as novidades. Em breve conto o que vem acontecendo por aqui...


7 comentários:

Marina Queiroz disse...

Sabe Jana, eu aqui que sou a pedagoga, breve estarei atuando numa sala multifuncional numa escola pública e vejo o quanto você sabe mais que eu! rsrsrs
Acho que quando eu começar vou pedir dicas a você, viu?
Mas falando sério, percebo que a questão da inclusão na edc especial é SÒ mesmo uma questão de olhar, de empatia, de ter sensibilidade com o outro. E você tem isso e muito mais com sua filhota. Porque não importa Leti ser seu sangue, vc poderia não ter esta sensibilidade, mas Deus sabia que você SERIA e É a melhor mãe que Leti poderia ter!
Muitas coisas envolvem dinheiro, a gente sabe, mas não adinataria tê-lo se você e o pai dela não fossem tão amorosos e atentos!
A cada dia me emociono com o desenvolvimento dela e sempre torço pra tudo ir seguindo em frente.
Beijos

Pávula disse...

Oi Janaína!

Antes de mais nada, gostaria de dizer que a Leti está cada dia mais linda!
Quanto ao post, sei bem como estas decisões que mexem com a rotina dos pequenos nos inquieta. Passei por isso há pouco quando Haniel conseguiu uma vaga na escolinha da universidade. O trabalho que eles desenvolvem é muito bom, mas fiquei muito relutante em mudar a rotina dele do berçário que ele frequenta desde o ano passado. Lá, ele se adaptou muito bem, inclusive na socialização com os outros bebês. No entanto, após conversar com a psicóloga da escolinha da universidade, resolvi "dar uma chance" ao trabalho deles e vamos tentar deixar ele um turno no berçário que ele já está adaptado e outro na escolinha onde ele desenvolverá outros tipos de atividades, em outro ambiente, com outras crianças...
Vamos ver se dará certo...
Só não quero tirá-lo do berçário, por que lá ele já criou vínculos e no meu ponto de vista isso é essencial.
Por isso eu compreendo o que a coordenadora da escola da Leti falou.

Sucesso para a Leti neste novo ano letivo e um grande abraço!

Pávula.

Anônimo disse...

Oi,Jana ...esse ano tb na vida de Felipe vai havar grandes mudanças ;como a troca da escola e o turno,To com o coração na mão mais certa que vai ser melhor pra ele...se quiser tenho um ótimo contato da prof de natação de Felipe ,ele faz aqui no prédio as 10hrs,e particular o preço e Salgado mais vale cada centavo e ela tem experiência com crianças no espectro.bjos e tudo de melhor pra vcs !!! Carla!

Carolina disse...

Amiga linda, Diogo e Ju vão amar o pequenique! Vc é uma mãe maravilhosa, tenho certeza que as outras mães, conhecendo um pouquinho mais, também vão se apaixonar por nossa gorduchinha. Bjs

Vaneska disse...

Ela está tão grande... e linda!
Adorei!

Sheila Ferraz disse...

Tudo bem Janaina? Pode me passar os contatos dos professores de natação que tem com experiência em criança especiaL? Bj

Gusmão disse...

Olá, Janaina!
Sou noova por aqui, mas já percebi que logo logo virarei veterana rsrs. Tb resolvi colocar Sofia na escolinha de música para crianças, já que ela tb adooora música. Tenho os seguintes contatos 3247-0455 e 3283-7885. o 1° tel é da escola Dorilândia, fica em Ondina, e o 2° tel é da escola de música da UFBa. O projeto é o mesmo e os professores tb. Vc pode procurar tb o site da escola de música da ufba para saber maiores informações. Matriculei Sofia na Dorilândia, pois não achei vaga na Ufba. Quem sabe eu não vejo Leti por lá.
Abraços!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...