quarta-feira, 25 de julho de 2018

Com as Crianças no Museu: Pierre Verger e Carybé

Dando sequência à série de postagens sobre os museus de Salvador, falarei um pouquinho hoje de dois museus relativamente novos na cidade, que oferecem, além de um maravilhoso acervo, uma localização privilegiadíssima: o Espaço Pierre Verger de Fotografia Baiana e o Espaço Carybé de Artes.
 
Os museus estão localizados, respectivamente, nos Fortes Santa Maria e São Diogo, na Barra, homenageiam artistas estrangeiros que se "abaianaram" e podem ser visitados mediante o pagamento de um único ingresso, o qual é gratuito nos dias de quarta feira.
 
Certamente por conta da ampla publicidade que envolveu a inauguração dos espaços há pouco mais de dois anos, eles não são daqueles desconhecidos pela população, de forma que acredito não trazer qualquer novidade no post, cujo objetivo é simplesmente compartilhar a nossa experiência e instigar o desejo de levar as crianças que ainda não os conhecem a conhecê-los.
 
Visitei ambos os museus em março de 2017, no dia 08 e no dia 15 (duas quartas feiras), a primeira vez com Mateus e a segunda, com Lipe. Ainda não levei Leti (embora esteja nos meus planos).
 
Nas duas vezes começamos o passeio pelo espaço de Verger e finalizamos no de Carybé.
 
Conhecemos o trabalho de Pierre Verger dois anos antes, em 2015, quando visitamos uma diversificada exposição no Museu de Arte Moderna, na Avenida Contorno, que trazia fotografias de suas viagens pelo mundo. As fotos e suas ricas legendas prenderam minha atenção e a de Lipe, enquanto a areia que cobria todo o piso do espaço foi o foco da diversão de Mateus. (Leti fez uma visita mais dinâmica com o papai, como acaba acontecendo na maioria dos nossos passeios, já que seu tempo de atenção é mais curto). Conhecer um pouco do trabalho do artista ali exposto foi, sem dúvida, o que acendeu o meu desejo de conhecer o Espaço Pierre Verger de Fotografia Baiana, que contempla também fotografias de outros artistas.
 


 
 
O espaço de Verger é pequeno e aconchegante e tem como objetivo "apresentar a fotografia como uma ferramenta a diversos fins: arte, suporte de memória, ferramenta antropológica ou objeto de posse familiar/pessoal".
 
Segundo o site da Fundação, a "exposição não é uma mostra que destaca individualmente a obra de diversos fotógrafos, mas que propõe uma leitura da fotografia baiana onde fotos de diversos fotógrafos, de diversas épocas, são colocadas lado a lado para que se possa estabelecer uma visão geral do que foi feito na Bahia seguindo os passos de Verger."
 
Para poder aproveitar o espaço de forma otimizada, foram utilizados recursos tecnológicos (projeções, telas interativas e técnica de realidade virtual) que permitem a ampliação do acervo e a possibilidade de se vivenciar experiências diferentes em momentos diferentes, além de tornar a visita muito mais atrativa ao público infanto-juvenil.
 
A visita é válida para conhecer um lado da Bahia que a maioria das nossas crianças não conhece, para exercitar a empatia, para apurar a sensibilidade do olhar... Neste museu, sob o meu ponto de vista extremamente kids friendly, há espaço para a curiosidade, para o conhecimento, para a desaceleração, para a contemplação. E, por que não, para a diversão?
 
 
 






 
 
O Espaço Carybé de Arte tem uma proposta similar, fazendo uso também de recursos tecnológicos para disponibilizar a ampliação do acervo e a diversidade da visita, impressionando por suas cores, tão típicas do artista.
 
Segundo matéria divulgada no GShow, "os idealizadores apostam na tecnologia para criar uma exposição personalizada, na qual o espectador escolhe os trabalhos que mais lhe interessam. É possível ver ilustrações feitas para livros através de totens. Um desenho feito por Carybé foi transformado em avatar e ganha movimentos a partir da interação com as pessoas".
 
A visita pode ser extremamente lúdica e interessante, enquanto damos movimento a um quadro, simulamos a pintura de um outro ou viajamos em diferentes imagens projetadas nas paredes, familiarizando as crianças com as obras tão cheias de personalidade de Carybé.
 
Para os maiores, há, ainda, a oportunidade de mergulhar mais fundo na vida e obra dos artistas, através das informações ali disponibilizadas.
 
 


 
E se tudo isso não for suficiente para acender um desejozinho de conhecer os espaços, vale lembrar que a vista que se tem de lá é simplesmente fantástica!
 






 
 
 
Se animou para ir? Lembre-se que eles estão fechados às terças-feiras, que o ingresso custa 20 reais e que nas quartas é grátis! Vão e aproveitem!
 
Links dos demais posts da série "Com as Crianças no Museu:
 
 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...