domingo, 4 de março de 2012

Você tem fome de quê?

A última quarta feira foi meu pior dia da adaptação mãe/pai de três.

A tarde foi super corrida, e completamente fora da minha programação. Estava com tudo milimetricamente calculado, para dar conta de todos os compromissos vespertinos, mas como quem lida com bebês, tem que aprender a lidar também com improviso, as coisas não saíram exatamente como eu esperava.

Às segundas e quartas Lipe tem futebol das 14:30 às 16h. Amamentei Mateus 13:20h, saí para levar Leti na escola, voltei para casa e peguei Lipe para levar ao futebol. Deixei-o lá e voltei para casa, na esperança de amamentar Mateus, que tinha mamado pouco. Mas o encontrei dormindo. Voltei para buscar Lipe e sua aula terminou às 16:30, diferentemente do planejado. Quando voltava para casa, telefonei para casa para saber se Mateus tinha acordado, como ainda dormía, parei no supermercado para comprar o leite de Leti que tinha acabado e pedi que me ligassem caso ele acordasse. O mercado estava entupido! E depois de enfrentar quase toda a fila, ligaram falando que ele tinha acordado. Só faltavam duas pessoas. Acabei esperando. Cheguei em casa 17h e encontrei meu filho faminto! Coloquei-o no peito com um olho nele e outro no relógio, já que a aula de Leti acabava às 17:30h. Às 17:20h, apesar dele ainda estar disposto a comer mais, tive que tirá-lo do peito para ir buscar Leti, porque fiquei com medo do congestionamento aumentar e meu atraso ser maior do que o aceitável.

Saí arrasada! Ele não ficou com fome. Saiu do peito e ficou tranquilo com a babá. Não chorou como chora quando está com fome. Mas fiquei arrasada por ter que amamentá-lo com pressa, agoniada, esperando que ele largasse logo o peito para eu poder sair. Triste por sentir que não disponibilizei para ele aconchego, paz, carinho... Por saber que saciei simplesmente a sua fome de comida.

Fui chorando de casa à escola de Leti. Liguei para Samir, dizendo que achava que não ia dar conta. Principalmente nesses dias de futebol de Lipe, porque o horário fica muito próximo do término da aula de Leti. Ficamos algumas horas tentando achar uma solução, que concilasse as duas atividades. Ele cogitou motorista, transporte "escolar", táxi... Ficamos de resolver quando ele chegasse em Salvador.

Mas como tudo sempre se ajeita em minha vida, a (melhor) solução apareceu mais rápido do que eu imaginava:  nosso condomínio contratou a equipe do clube onde ele estava fazendo futebol para dar aula aqui mesmo para as crianças.

A princípio, Lipe resistiu um pouco. Disse preferir treinar lá porque o campo era maior. Mas quando falamos que treinar aqui seria uma excelente oportunidade para ele conhecer os novos vizinhos e fazer amigos, ele acabou concordando. E os efeitos foram imediatos. Bastou descer para fazer a matrícula, que conheceu vários garotos e já se entrosou e ficou jogando bola por lá mesmo.

Amanhã começam as aulas. Um problema foi resolvido.

Um comentário:

Ju Dalzoto disse...

Oi Jana!!!

Como estão as coisas por aí, menina?! Nossa, eu li seu post e fiquei aqui agoniada tb! É uma doidera tantas coisas para fazer e 3 crianças (no meu caso 2, né) para cuidar!

Essa sensação de "dar apenas o alimento" eu tb sinto as vezes, outro dia até falei sem querer: "mama logo Mi!", minha mãe que estava por perto me repreendeu e eu fiquei péssima tb. Mas depois, assim que pude, recompensei o pequeno!

Mãe de vários é complicado ne'?! Não pensei que fosse tto!!! Mas que bom que por aí a solução para este problema chegou a tempo! Vou ficar na torcida para o Lipe adorar os novos parceiros de futebol!!

Beijão pra vcs
e tudo de bom!
Ju

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...