quinta-feira, 1 de junho de 2017

Pronta para voltar

E, num piscar de olhos, a licença acabou! Na próxima segunda feira já é dia de voltar ao trabalho, mas com a robusta sensação de dever cumprido.
 
Como disse no último post, Leti vai de vento em polpa. E se ela está bem, eu fico ótima!
 
Acho que depois da minha fase de luto, época em que descobri que a filha que eu tinha recebido não era exatamente a que eu havia idealizado, e quando eu achava que tinha que conhecer tudo o que existia para o tratamento do autismo, para experimentar nela; esta foi a época em que fiquei mais perdida em relação ao que fazer com Leti. Me senti uma cega em tiroteio, querendo atirar para todos os lados...
 
Mas o fato é que passou. E foram tantas coisas que fizemos, que nem sei à qual devo atribuir os méritos da melhora. Mas isso não vem ao caso.
 
Ela está linda, aberta ao mundo, tranquila, feliz! Conserva, sim, algumas estereotipias, uns interesses restritos, alguns comportamentos que eu preferia que ela não tivesse, mas com os quais aprendi a conviver, entendendo que fazem parte dela.
 
E a vida volta a seguir seu curso natural, permitindo-nos resgatar alguns projetos que andavam sobrestados, aguardando o momento mais adequado para serem retomados, dentre eles, a vinda de suas amigas de escola a nossa casa.
 
Há alguns meses as lindas amigas de Leti vêm me abordando para marcar um encontro aqui em casa. Mas daí veio carnaval, depois o período crítico de transição da medicação, depois uma faringite...
 
Só agora conseguimos promover o encontro, que foi franqueado às amigas escolhidas pela minha pequena, em respeito ao seu desejo e à sua manifestação de vontade.
 
Estes momentos, como já relatei aqui e aqui (para quem tiver tempo para ler), são sempre muito ricos e hoje não foi diferente!
 
Mesmo com toda a resistência que Leti tem para brincar, ela brincou.
 
Chegou em casa ansiosa para "brincar" com seus lençóis e para ver vídeos no youtube e teve tempo para isso enquanto as meninas exploravam com Mateus algumas possibilidades.
 
Depois do almoço, aceitou a sugestão da amiga para brincar de esconde-esconde e não economizou alegria na brincadeira! Eu sempre ia na dupla com ela, fosse para contar ou para se esconder, para facilitar a sua participação. E ela contou direitinho, com o rosto escondido na parede, saía saltitando para procurar as meninas, gargalhava quando as encontrava. Na hora de se esconder, sugeria o local, ficava quietinha e, quando fazia menção de fazer barulho, e eu sinalizava, colocando o indicador em frente à boca para fazer silêncio, ela repetia meu movimento, dando aquele soprinho, típico de quando se pede silêncio. (vontade de morder) Linda demais!
 
Brincamos também com umas cartinhas de animais que ela ganhou de presente de minha irmã, que oportuniza uma espécie de jogo de adivinha. Quando íamos começar uma segunda etapa, com cartas diferentes e uma regra diferente, proposta pela amiga, ela acabou cochilando.
 
Enquanto ela cochilava, as meninas tomaram banho de banheira e, 30 minutinhos depois, estavam todos prontos para descer para um piquenique.
 
Lá embaixo, Leti participou, juntamente com as amigas, do lanche, das histórias e de mais esconde-esconde. Observou de perto a brincadeira no parque, o patinete, a bicicleta... Respeitando o tempo e o interesse de cada um, íamos fazendo mediações para oportunizar que minha pequena pudesse usufruir ao máximo da companhia de suas amigas. E tudo fluiu muito bem!
 
Ao longo da tarde, que terminou por volta das 17 horas, tivemos deliciosos momentos de diversão, que nossas lentes não conseguiram captar, para eternizar o registro, mas que estarão, sem dúvida, devidamente guardados para a posteridade em minha memória.
 
E agora que uma versão diferente minha desponta, mais leve e solta que a versão de um mês atrás, resultado de todo o processo de melhora de Leti, vou aproveitar o clima de estabilidade, e o tempinho de licença que me resta, para fazer a única coisa que falta para me sentir pronta para o retorno ao trabalho: cuidar um pouquinho de mim. #partiusalão rs
 
 
 
 
 
 

4 comentários:

Milena disse...

Muito legal ler este seu relato. Lipe essa semana disse que ela estava chamando ele e que ele conversou com ela.

Andrea Philipps disse...

Que bom Janaína! Torço muito pela felicidade de todos vocês e fico sempre muito emocionado com a sua forma de expressar vivências tão especiais.

Aline Rosa disse...

Esse diário é a prova de que os vínculos são construídos na convivência (mesmo que virtual). Uma alegria imensa pelas últimas postagens e pela felicidade de Leti nas fotos, sorridente e iluminada. E é com essa luz que ela vai crescer.

Vivian Vasconcelos disse...

Muito feliz com as notícias!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...